quarta-feira, 2 de julho de 2008

À grandes amigos!

Ouvi em algum lugar q qd chegamos próximo ao fim relembramos o começo... Nostálgico, porém verdadeiro por mais q esse fim n seja "o fim" mas sim um enoooorme intervalo!

Começo a sentir um pouco do imenso vazio q vai me tomar qd o semestre começar e eu olhar p lado e n ter os amigos cotidianos por perto. A partir dessa sensação vêm as lembranças do começo, do primeiro ano de faculdade, de como nos aproximamos, da intensidade da amizade q começamos, do vínculo de família q surgiu, das aventuras, choros, fofocas, novos amigos, novos vínculos... Enfim, tudo q perdemos e conquistamos juntos. E esse tudo tem tanta coisa que parece q passamos a vida construindo!
Apesar das experiências q essa história de distância já me trouxe, nunca consegui me acostumar com novas despedidas, tenho medo delas, da quantidade de interrogações e incertezas q elas trazem, além da tristeza. (Morro de vontade de aprender a não me desaguar em lágrimas numa situação como essa! =])

De verdade, seis meses passam voando, assim como esse tempo todo q temos juntos passou. Entretanto vou sentir muuuuuuuuita falta e vou lembrá-los, amigos, tds os dias! A saudade vai apertar mas sei a quão grandioso isso vai ser, isso de se afastar, de sair de casa. Pelo pouco q sei, vcs vão crescer muito e com certeza vão se tornar pessoas mais legais, compreensivas, interessantes e mais amigas!

Aí, por situações como essa, passo a rememorar também amizades mais antigas. Vejo como algumas delas n conseguiram vencer o obstáculo imposto pelo tempo e acabaram se esvaecendo apesar de o sentimento do querer bem ter se mantido. Qd pensei nestas fiquei um pouco receosa do q poderia ocorrer após esses seis meses de ausência, será se podemos virar meros conhecidos e um dia pensar 'Como éramos amigos!'? Porém lembrei também q mts dessas amizades antigas ainda se mantém em riste, msm depois da diminuição da frequência da presença e das notícias e percebi q eram essas as q eu mais desejava q se mantivessem. Então consolo-me com o enorme desejo de sempre ter notícias de como estão meus grandes amigos e a ctz de q vou tê-las. Assim qd retornarem teremos mt o q conversar e com o q gastar o enorme tempo q voltaremos a passar juntos depois desse interregno!

E aqui cabe mais q perfeitamente um soneto de Vinícius como tds, mt sucinto mas suficiente pra dzr td o q precisa:

"Soneto ao amigo


Enfim, depois de tanto erro passado
Tantas retaliações, tanto perigo
Eis que ressurge noutro o velho amigo
Nunca perdido, sempre reencontrado.

É bom sentá-lo novamente ao lado
Com olhos que contêm o olhar antigo
Sempre comigo um pouco atribulado
E como sempre singular comigo.

Um bicho igual a mim, simples e humano
Sabendo se mover e comover
E a disfarçar com o meu próprio engano.

O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica..."

"A gnt não faz amigos, receonhece-os!"
Vinícius de Moraes

Amo vcs!

;)
=*

3 comentários:

karen katlheen nogueira disse...

O que comentar...fiquei sem palavras.Única ação possivel nesse momento...deixar as lagrimas cairem!

Jeferson disse...

Preta não sei o q dizer....so me emocionei...
Obrigado por tudo q passamos juntos.
E saiba q amizade como a nossa nunk caira no esquecimento...
amo de ++++

;**

Barbara disse...

NEEEEEEEEEEEEEEEEEGA. TE AMO MUUUITO AMIGA.
;)))))))))))
E eu vou sempre lembrar de ti todo diiia. E a gente vai continuar sendo amigas como toda vida a gente foi.. hehehe
;*******